Ansiedade é uma merda e eu posso provar.


              Engraçado como um pequeno acontecimento em nossas vidas pode desencadear uma série de conflitos internos ou acordar medos que por muito tempo tempo estiveram adormecidos. Não sei bem como começar esse post nem sei por que estou escrevendo ele na verdade, mas desconfio que hoje eu esteja em um dos meus dias de crise, uma loucura, porque minha vontade era estar deitada na cama, pensando em tudo e fazendo "vários nadas".
             Isto é ansiedade, pelo menos pra mim. Me sinto parada no tempo enquanto o mundo gira cada vez mais rápido. É como aquela brincadeira de criança em que nossos pais ou tios nos pegam pelos braços e ficamos girando por alguns segundos. Quando somos colocados de volta no chão, ali pisando em terra firme, parados, mas com o mundo ainda em movimento, tudo passando rápido demais...É assim que me sinto. No ultimo ano voltei para a faculdade, depois de quase dois anos trabalhando, decidi que era hora de me dedicar novamente a vida acadêmica. Eu sabia que não seria fácil, mas não achei que acabaria desenvolvendo uma tendência absurda a ansiedade. No começo era tranquilo, achava que tudo era pressão, falta de ritmo e que no fim eu me adaptaria, mas eu estava enganada. As semanas não passavam, eu olhava no calendário e ainda era começo do mês, as obrigações chegavam e quando percebi os dias também não passavam mais, para mim sempre era segunda feira. Então me dei conta de que o problema não eram as horas, nem o comprimento dos dias, o problema era eu, a coisa toda era comigo, (ainda é). Eu estava procrastinando. O que era pra ser entregue na segunda ficava para a próxima e então a próxima chegava e eu ainda estava lá, sem coragem, sabendo que cada dia mais as coisas se acumulavam. Não era preguiça, era ela, a ansiedade. Eu queria fazer, mas tinha medo de errar, meu coração disparava sempre que pensava nos meus compromissos, meu sono ia embora quando lembrava de um trabalho que deveria ser entregue meses a frente. Até que os meses passavam, o prazo chegava e eu não tinha feito nada. Minha vontade de comer dobrava assim como o meu peso e me vi passar de 68 para 81kg em menos de seis meses.
            Queria escrever aqui que está tudo bem e que as coisas melhoraram, que vou voltar firme e forte com o blog, mas eu estaria mentindo. Estou melhor, mas ainda não sou a pessoa que eu gostava de ser. LIVRE. Me sinto presa, assustada com o ritmo das coisas. Não tem sido fácil, mas a vida é isso né?! Não da pra ser um grande miojo de três minutos. É complicado, eu sei.
Obrigado a todos que não desistiram do DF e que ainda passam por aqui para me visitar, mesmo não me encontrando. Sei que geralmente a porta está fechada, mas prometo que estou me esforçando muito pra que ela se mantenha aberta. Vocês fazem muita falta.
             Até Breve!